Amonitas - Wikiwand
For faster navigation, this Iframe is preloading the Wikiwand page for Amonitas.

Amonitas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde fevereiro de 2014). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
עַמּוֹן
Ammon
ʻAmmôn
عمّون‎
ʻAmmūn

Reino de Amom


Reino de Amom ca. 830 a.C.
Capital Rabate-Amom (Amã)
Língua oficial Amonita, Moabita
 - Batalha de Carcar contra os Assírios 853 a.C. 
Uma torre de vigilância amonita, Rujm Al-Malfouf, em Amã
Uma torre de vigilância amonita, Rujm Al-Malfouf, em Amã

Os amonitas, também conhecidos como Amom (hebraico: עַמּוֹן, hebraico moderno: Ammon, tiberiano: ʻAmmôn; "Povo"; árabe: عمّون; Transliteração: ʻAmmūn) ou "filhos de Amom", foram uma antiga nação que, de acordo com o Antigo Testamento e outras fontes, ocuparam uma área ao leste do Rio Jordão, de Gileade e do mar morto, na atual Jordânia.[1][2] A cidade principal do país foi Rabá, ou Rabá Amom, localidade da moderna cidade de Amã, capital da Jordânia. Milcom e Moloque (que podem ser o mesmo), são citados na Bíblia como os deuses de Amom.

Na Bíblia

Os amonitas foram um povo que habitava a região da Palestina. Pouco se sabe sobre a origem e os costumes desse povo. De acordo com o relato bíblico, Gênesis 19:37-38, tanto Ben-Ami (Amom) quanto Moabe nasceram de uma relação incestuosa entre e suas duas filhas no resultado da destruição de Sodoma e Gomorra e a Bíblia refere-se aos Amonitas e aos Moabitas como os “filhos de Ló”. Na Bíblia, os amonitas e os israelitas são descritos como antagonistas mútuos.

Durante o Êxodo, os israelitas foram proibidos pelos amonitas de passarem por suas terras. No livro de Juízes, os amonitas se uniram com Eglon, rei dos moabitas, contra Israel. Segundo o Livro dos Juízes, os amonitas exerceram domínio sobre os israelitas durante alguns períodos de tempo, sendo seu poderio fora rompido por Eúde, que assassinou à traição o rei amonita Eglom. Mais tarde fortaleceram-se novamente e estavam saqueando Israel quando Jefté obteve uma grande vitória sobre os amonitas e libertou Israel.

Ataques feitos pelos amonitas nas comunidades israelitas do leste do Jordão foram o impulso atrás da unificação das tribos sob o comando de Saul. De acordo com I Reis 14:21-31 e 2 Crônicas 12:13, Naamá era uma amonita. Ela foi a primeira esposa do rei Salomão a ser mencionada pelo nome no Tanaque como tendo um filho. Ela foi mãe do sucessor de Salomão, Reoboão.

Relação com a Assíria

Amom manteve sua independência do império Assírio através de tributo ao rei assírio, em um momento em que os reinos vizinhos estavam sendo invadidos ou conquistados. Inscrições no Monólito de Curque descrevem o exército do rei amonita Baasha bem Ruhubi lutando ao lado de Acabe de Israel e aliados Sírios contra Salmanaser III na Batalha de Carcar em 853 a.C., possivelmente como vassalos de Hadadezer, o rei dos arameus de Damasco.

Ver também

Referências

  1. MacDonald, Burton; Randall W. Younker (1999). Ancient Ammon. [S.l.]: BRILL. p. 1. ISBN 9789004107625 
  2. Levy, Tom; Øystein S. LaBianca and Randall W. Younker (1998). The archaeology of society in the Holy Land. [S.l.]: Continuum International Publishing Group. p. 399. ISBN 9780826469960 


Este artigo sobre a Bíblia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
{{bottomLinkPreText}} {{bottomLinkText}}
Amonitas
Listen to this article