Brian Harold May, CBE (Londres, Inglaterra, 19 de julho de 1947) é um músico e astrofísico inglês, famoso por integrar a banda britânica de rock Queen, como guitarrista e compositor. Também construiu uma guitarra elétrica conhecida como Red Special. Algumas de suas composições para o grupo são "We Will Rock You", "Tie Your Mother Down", "The Show Must Go On", "I Want It All", "Who Wants to Live Forever" e "Hammer To Fall".[1]

Quick facts: Brian May CBE, Informação geral...
Brian May

CBE

Brian May
May em 2017
Informação geral
Nome completo Brian Harold May
Nascimento 19 de julho de 1947 (75 anos)
Local de nascimento Hampton, Middlesex, Inglaterra
Reino Unido
Nacionalidade Britânico
Gênero(s) Hard rock, pop rock, rock progressivo
Ocupação(ões) Músico, Astrofísico
Progenitores Mãe: Ruth May
Pai: Harold May
Cônjuge Christine Mullen (c. 1976; div. 1988)
Anita Dobson (c. 2000)
Filho(s) 3
Alma mater Imperial College London (BSc, PhD)
Instrumento(s) Guitarra, vocais, teclados e violão
Modelos de instrumentos Red Special, Fender Telecaster
Período em atividade 1965–presente
Outras ocupações Compositor, produtor musical, astrofísico, autor
Gravadora(s) Hollywood, Parlophone
Afiliação(ões) Smile, Queen, Queen + Paul Rodgers, Robbie Williams, Queen + Adam Lambert, Kerry Ellis,Tony Iommi
Prêmios Induzido ao Rock and Roll Hall of Fame (2001), CBE (2005)
Página oficial brianmay.com
Close

May é co-fundador do Queen, juntamente com o cantor Freddie Mercury e o baterista Roger Taylor, tendo trabalhado anteriormente com Taylor na banda Smile, a qual se juntou quando era universitário. Em cinco anos de sua formação, em 1970, e com o recrutamento do baixista John Deacon completando a equipe de músicos, o Queen se estabeleceu como uma das maiores bandas de rock do mundo, com o sucesso do álbum A Night at the Opera e a música Bohemian Rhapsody. A música-tema gerou diversas críticas e polêmicas na crítica especializada. Em 2008, a música foi eleita no Reino Unido como a melhor canção pop de todos os tempos, em uma pesquisa realizada pela empresa Onepoll.com, que ouviu dez mil pessoas. Ela superou sucessos de cantores como Bryan Adams, Robbie Williams e John Lennon.

Dos anos 1970 até o início dos anos 1990, o Queen era presença constante nas paradas de sucesso do Reino Unido e do mundo, se apresentando em alguns dos maiores eventos do mundo, com uma notável e inesquecível aclamação de sua performance no concerto Live Aid, em 1985. Como membro do Queen, May passou a ser visto como músico virtuoso e com um som distinto criado através de vários níveis de execução no seu trabalho com a guitarra.

Em dezembro de 2005, Brian foi homenageado com um CBE Commander, Medalha da Ordem do Império Britânico, por Sua Majestade a Rainha, em reconhecimento dos seus serviços para a música e obras de caridade.[2] Após isso, concluiu seu doutorado em astrofísica no Imperial College, em 2007. Foi ainda chanceler da Liverpool John Moores University entre os anos de 2008 e 2013.[3] É também defensor ativo dos direitos dos animais.[4]

Em 2005, uma enquete/sondagem da revista Planet Rock elegeu Brian como o sétimo melhor guitarrista de todos os tempos.[5] Também foi considerado o 19º melhor guitarrista de todos os tempos, segundo a revista norte-americana Rolling Stone,[6] enquanto a Guitar World, através de seus leitores o pôs no segundo lugar em 2012.[7]