A Copa do Mundo FIFA de 1994 foi a 15ª edição sediada nos Estados Unidos, sendo o 1º Mundial a ser realizado neste país. Apesar da pouca tradição norte-americana no futebol, foi este mundial que bateu todos os recordes de público, mantidos até os dias de hoje. Com um futebol extremamente eficiente e com um grupo muito unido liderado pelo polêmico craque Romário, a Seleção brasileira conquistou o quarto título mundial ao bater a Itália na final. O titulo do Brasil foi comemorado também como uma homenagem ao tricampeão mundial de Fórmula 1 Ayrton Senna, falecido em 1 de maio daquele ano.

Quick facts: Copa do Mundo FIFA de 1994, World Cup USA '94...
Copa do Mundo FIFA de 1994
World Cup USA '94 (em inglês)
Estados Unidos 1994

Cartaz oficial da edição
Dados
Participantes 24
Organização FIFA
Anfitrião Estados Unidos
Período 17 de junho – 17 de julho
Gol(o)s 141
Partidas 52
Média 2,71 gol(o)s por partida
Campeão Brasil (4º título)
Vice-campeão Itália
3.º colocado Suécia
4.º colocado Bulgária
Melhor marcador 6 gols:
Melhor ataque (fase inicial) Rússia – 7 gols
Melhor defesa (fase inicial) 1 gol:
Maior goleada
(diferença)
Rússia 6–1 Camarões
Stanford Stadium, Palo Alto
28 de junho, Grupo B
Público 3 587 538
Média 68 991,1 pessoas por partida
Premiações
Melhor jogador
Romário
Melhor goleiro Michel Preud'homme
Melhor jogador jovem Marc Overmars
Fair play Brasil
◄◄ 1990 1998 ►►
Close

A edição foi aberta no estádio Soldier Field, em Chicago, no dia 17 de junho, com direito a performance da cantora Diana Ross. No mesmo dia, aconteceu o jogo de abertura entre a Alemanha (sua primeira Copa reunificada) contra a Bolívia. A seleção Alemã venceu o jogo por um magro 1–0, gol do atacante Jürgen Klinsmann. Nesse jogo, o craque boliviano Marco Etcheverry, que tinha tudo para se destacar, recebeu o primeiro cartão vermelho desta Copa ao agredir Lothar Matthäus,[1] fazendo jus ao apelido de "El Diablo". Estreante em copas, a Arábia Saudita mostrou ao mundo do futebol a que veio no terceiro jogo contra a Bélgica. Após receber a bola do campo de sua equipe, Saeed Al-Owairan decidiu partir para cima dos belgas e após driblar meio time, tocou na saída do experiente goleiro Michel Preud'homme, um dos melhores do mundo na época e que seria eleito o melhor daquela Copa,[2] marcando o mais belo gol do Mundial.

O Brasil fez a seguinte campanha: duas vitórias e um empate na fase de grupos: 2–0 contra a Rússia, 3–0 contra Camarões e 1–1 contra a Suécia; nas oitavas de final derrotou os Estados Unidos por 1–0; nas quartas de final eliminou os Países Baixos por 3–2; na semifinal, 1–0 frente à Suécia; na grande final, o Brasil jogou contra a Itália, o jogo terminou empatado em 0–0 nos 90 minutos do tempo normal e na prorrogação. O Brasil conquistou o título após ganhar a disputa por pênaltis pelo placar de 3–2 e se tornou a primeira seleção tetracampeã mundial de futebol. Foi uma Copa do Mundo de grandes surpresas. A Bulgária, que até ali em 6 participações anteriores jamais havia vencido um jogo de Copa do Mundo, superou grandes favoritos, sendo a 2.ª colocada em um grupo que tinha a Argentina, além de eliminar em um jogo emocionante a Alemanha, até então a Campeã mundial defensora, por 2–1 nas quartas de final. Chegou à semifinal e terminou em 4.º lugar.