A Encyclopædia Britannica é uma enciclopédia generalista de língua inglesa publicada pela Encyclopædia Britannica, Inc., uma editora privada. É amplamente considerada como a mais acadêmica das enciclopédias.[1][2]

Quick facts: Encyclopædia Britannica...
Encyclopædia Britannica
Encyclopædia Britannica
Autor(es) 4 411 colaboradores registrados
Corpo Editorial
Idioma Inglês
País  Reino Unido (1768–1901)
 Estados Unidos (1901–presente)
Assunto Enciclopédia
Linha temporal 1768–presente
Editora Encyclopædia Britannica, Inc.
Lançamento 1798
ISBN ISBN 1-59339-292-3
Close

A Britannica inicialmente foi publicada entre 1768 e 1771, em Edimburgo, Reino Unido, e depressa aumentou em popularidade e tamanho, com a sua terceira edição, em 1801, alcançando os vinte volumes.[3][4] O aumento de tamanho implicou a contratação de colaboradores, e as suas 9.ª (18751889) e 11.ª edições (1911) são consideradas como marcos no que toca a enciclopédias acadêmicas e de estilo literário.[3] Começando com a 11.ª edição, a Britannica foi gradualmente diminuindo e simplificando os seus artigos a fim de os tornar mais acessíveis, e alargar a sua expansão ao mercado nos Estados Unidos.[3] Em 1933, a Britannica tornou-se a primeira enciclopédia a adotar a política "em contínua revisão", que resulta em que a enciclopédia seja continuamente reimpressa e cada verbete seja atualizado regularmente.[4]

A edição atual (a 15.ª) tem uma única estrutura dividida em três partes: a Micropædia, de 12 volumes, contém verbetes menores (geralmente tendo menos de 750 palavras), a Macropædia, de 17 volumes, com longos artigos (tendo de duas a 310 páginas cada) e a Propædia, num só volume, que pretende fornecer um esboço do conhecimento humano, de modo hierárquico. A Micropædia é destinada a pesquisa rápida e a servir como guia para a Macropædia; os leitores são aconselhados a estudar o esboço da Propædia a fim de entender o contexto do assunto e para encontrar outros artigos, mais detalhados.[5] O tamanho da Britannica tem-se mantido muito constante ao longo dos últimos 70 anos, com cerca de 40 milhões de palavras e meio milhão de tópicos.[6] Embora a sua publicação tenha sede nos Estados Unidos desde 1901, a Britannica manteve a ortografia inglesa tradicional.[1][7]

Ao longo da História, a Britannica tem tido dificuldade em permanecer rentável — um problema enfrentado por muitas enciclopédias.[8] Alguns verbetes, em determinadas edições anteriores da Britannica, foram acusados de imprecisão, viés ou falta de qualificação dos colaboradores.[3][9] A precisão de partes da edição mais recente (de 2005) tem sido igualmente questionada,[1][10] embora tais críticas tenham sido contestadas pela gestão da Britannica.[11] Apesar disso, a Britannica mantém a sua reputação como fonte de pesquisa confiável. Em 3 de março de 2012, foi anunciado que a Encyclopædia Britannica, agora com sede em Chicago, não iria publicar mais versões impressas em papel focando-se apenas na sua versão online.[12][13]

Oops something went wrong: