João Calvino (Noyon, 10 de julho de 1509Genebra, 27 de maio de 1564) foi um teólogo, líder religioso e escritor cristão francês. Considerado como um dos principais líderes da Reforma Protestante, em particular na França, as ideias de Calvino tiveram uma grande influência não apenas sobre a teologia cristã, mas também sobre a vida social,[1][2] a política[3] e até mesmo o sistema econômico[4] de diversos países, sendo amplamente consideradas como tendo possuído um forte impacto na formação do mundo moderno.[5] O sistema teológico bíblico que ele criou é geralmente conhecido como calvinismo, ainda que o próprio Calvino tivesse repudiado veementemente o uso de tal nome para descrevê-lo.[6] Esta variante do protestantismo viria a ser bem-sucedida em países como a Suíça (país de origem), Países Baixos, África do Sul (entre os africânderes), Inglaterra, Escócia e Estados Unidos.

Quick facts: João Calvino, Assinatura...
João Calvino
João Calvino
Nascimento Jehan Cauvin
10 de julho de 1509
Noyon
Morte 27 de maio de 1564 (54 anos)
Genebra
Sepultamento Cimetière des Rois
Cidadania Reino da França, República de Genebra
Progenitores
  • Gérard Cauvin
Cônjuge Idelette de Bure
Alma mater
Ocupação teólogo, ministro, reformador protestante, pastor, advogado, escritor
Obras destacadas Institutas da Religião Cristã
Religião protestantismo
Causa da morte sepse
Assinatura
Close

Martinho Lutero escreveu as suas 95 teses em 1517, quando Calvino tinha apenas oito anos de idade, o que faz com que Calvino seja considerado como pertencente à segunda geração da Reforma Protestante.[5] Para muitos historiadores, Calvino teria sido para o povo de língua francesa aquilo que Lutero foi para o povo de língua alemã — uma figura quase paternal. Lutero era dotado de uma retórica mais direta, por vezes grosseira, enquanto que Calvino tinha um estilo de pensamento mais refinado e geométrico, quase de filigrana.

Segundo Bernard Cottret, biógrafo francês de Calvino: "Quando se observa estes dois homens podia-se dizer que cada um deles se insere já num imaginário nacional: Lutero o defensor das liberdades germânicas, o qual se dirige com palavras arrojadas aos senhores feudais da nação alemã; Calvino, o filósofo pré-cartesiano, precursor da língua francesa, de uma severidade clássica, que se identifica pela clareza do estilo".[7]

Oops something went wrong: