Jugoslávia

país no sudeste da Europa, 1918–1992 / De Wikipedia, a enciclopédia livre

A Jugoslávia (português europeu) ou Iugoslávia (português brasileiro) foi um país que existiu na região dos Bálcãs na Europa durante a maior parte do século XX. Surgiu após a Primeira Guerra Mundial, em 1918,[1] sob o nome de Reino dos Sérvios, Croatas e Eslovenos através da fusão do provisório Estado dos Eslovenos, Croatas e Sérvios (ele próprio formado por territórios do antigo Império Austro-Húngaro) com o Reino da Sérvia, anteriormente independente. A casa real sérvia de Karađorđević tornou-se a dinastia real iugoslava. A Iugoslávia ganhou reconhecimento internacional em 13 de julho de 1922 na Conferência dos Embaixadores em Paris.[2] O país recebeu o nome dos povos eslavos meridionais e constituiu a sua primeira união, após séculos em que tais territórios tinham sido parte do Império Otomano e da Áustria-Hungria.

   |-
       |Erro::  valor não especificado para "nome_comum"


Југославија
Jugoslavija

Iugoslávia/Jugoslávia
1918  1992
Localização de
A extensão da Iugoslávia na Europa
Continente Europa
Região Bálcãs
Capital Belgrado
44° 49' N 20° 27' E
Língua oficial Servo-croata
Macedônio
Esloveno
Governo Monarquia (1918-1945)
República socialista (1945-1990)
República federativa (1990-1992)
Período histórico Século XX
  1º de dezembro de 1918Criação
  6 de abril de 1941Invasão pelo Eixo
  24 de outubro de 1945Admissão nas Nações Unidas
  29 de novembro de 1945Abolição da monarquia
  27 de abril de 1992Desintegração
Moeda Dinar iugoslavo
Precedido por
Sucedido por
Reino da Sérvia
Reino do Montenegro
Bósnia e Herzegovina
Reino da Croácia-Eslavônia
Ducado de Carniola
Reino da Dalmácia
Estado Livre de Fiume
Croácia
Eslovênia
República da Macedônia
República da Bósnia e Herzegovina
República Federal da Iugoslávia

Renomeado para Reino da Iugoslávia em 3 de outubro de 1929, o país foi invadido pelas Potências do Eixo em 6 de abril de 1941. Em 1943, uma Iugoslávia democrática e federal é proclamada pela resistência de partisan. Em 1944, o rei o reconheceu como o governo legítimo da nação, mas em novembro de 1945 a monarquia foi abolida. A Iugoslávia foi renomeada para República Popular Federativa da Iugoslávia em 1946, quando um governo comunista foi estabelecido. O país adquiriu os territórios de Istria, de Rijeka e de Zadar da Itália. O líder partidário Josip Broz Tito governou o país como presidente até sua morte em 1980. Em 1963, o país foi rebatizado novamente para República Socialista Federal da Iugoslávia (RSFI).

As seis repúblicas socialistas que constituíram o país eram a RS da Bósnia e Herzegovina, RS da Croácia, RS da Macedônia, RS de Montenegro, RS da Eslovênia e a RS da Sérvia. A Sérvia continha ainda duas províncias socialistas autônomas, Vojvodina e Kosovo, que depois de 1974 eram em grande parte iguais aos outros membros da federação.[3][4] Depois de uma crise econômica e política na década de 1980 e do surgimento do nacionalismo, a Iugoslávia foi desintegrada ao longo das fronteiras de suas repúblicas, inicialmente em cinco países, levando à Guerra da Iugoslávia.

Depois da dissolução, as repúblicas da Sérvia e Montenegro formaram uma federação reduzida, a República Federal da Iugoslávia (RFI), que aspirava ao estatuto de único sucessor legal da RFSI, mas essas reivindicações eram negadas pelas outras ex-repúblicas. Finalmente a Sérvia e Montenegro aceitaram a opinião do Comitê de Arbitragem de Badinter sobre a sucessão compartilhada.[5] A própria Sérvia e Montenegro se separaram em 2006 e tornaram-se Estados independentes, enquanto o Kosovo proclamou a sua independência em 2008.