Michel Tognini - Wikiwand
For faster navigation, this Iframe is preloading the Wikiwand page for Michel Tognini.

Michel Tognini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Michel Tognini
Nascimento 30 de setembro de 1949 (70 anos)
Vincennes, França
Nacionalidade França francês
Carreira espacial
Astronauta da ESA
Tempo no espaço 18d 17h 46m
Missões Soyuz TM-15, Soyuz TM-14, STS-93
Insígnia da missão

Michel Ange-Charles Tognini (Vincennes, 30 de setembro de 1949) é um piloto de testes, general-brigadeiro da Força Aérea Francesa e ex-astronauta da Agência Espacial Européia.

Graduou-se como oficial piloto pela Academia da Força Aérea Francesa (École de l'Air) em 1973 e em sua carreira como aviador militar acumulou mais de 4000 horas de voo em 80 tipos de aeronaves, mais particularmente caças de combate e aviões de transporte como o F-104, MiG-25, Tupolev Tu-154 e Gloster Meteor. Em 1982 formou-se como piloto de testes na Grã-Bretanha e nesta função testou vários sistemas de armamentos para os protótipos do Mirage 2000.

Em 1985, a França abriu um programa de recrutamento para aumentar seu corpo de astronautas e Tognini foi um dos sete selecionados pela CNES (Centre National d'Études Spatiales) para treinamento e um dos quatro enviados para exames médicos na Agência Espacial Russa, em Moscou. Designado como tripulante reserva da missão Soyuz TM-7, em novembro de 1986 ele foi para Centro de Treinamento de Cosmonautas Yuri Gagarin, na Cidade das Estrelas, para treinamento como piloto da missão conjunta ARAGATZ, entre soviéticos e franceses, incluindo treinamento em Atividades extra-veiculares. Entre 1989 e 1990, trabalhou no desenvolvimento do programa Hermes, da ESA, em Toulouse, na França. De volta à Rússia, em 1991, foi designado para participar do programa franco-russo ANTARES e fez testes em simuladores do projeto Buran, tentativa mal sucedida da criação do ônibus espacial russo.

Voos espaciais

Tognini fez seu primeiro voo espacial em 27 de julho de 1992, na Soyuz TM-15, lançada do Cosmódromo de Baikonur para uma missão na estação orbital Mir. A missão conjunta - ANTARES - foi realizada durante duas semanas, e ele e os soviéticos Alexander Viktorenko e Alexander Kaleri levaram a cabo diversas experiências preparadas por cientistas dos dois países. Voltou à Terra na Soyuz TM-14 em 10 de agosto.

Pelo resto da década, Tognini passou a exercer funções junto à NASA, em Houston, onde trabalhou no departamento de robótica, planejamento de operações da Estação Espacial Internacional e como CAPCOM (comunicador de voo) com as tripulações da ISS. Em 1999 fez seu segundo voo, desta vez no ônibus espacial Columbia, STS-93 - ele foi ao espaço tanto na Soyuz como no ônibus espacial, um dos poucos astronautas não russos ou norte-americanos a fazer isso - para uma missão de cinco dias na qual sua principal tarefa foi dar assistência ao lançamento em órbita do observatório de raios-X Chandra.

Retirou-se do serviço ativo em 2003.

Ver também

{{bottomLinkPreText}} {{bottomLinkText}}
Michel Tognini
Listen to this article