Nora Ney - Wikiwand
For faster navigation, this Iframe is preloading the Wikiwand page for Nora Ney.

Nora Ney

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Nora Ney
Nora Ney com Ciro Monteiro e Clementina de Jesus em 1968.
Informação geral
Nome completo Iracema de Sousa Ferreira
Nascimento 20 de março de 1922
Origem Rio de Janeiro
País Brasil Brasil
Morte 28 de outubro de 2003 (81 anos)
Gênero(s) Samba-Canção
Extensão vocal Contralto
Período em atividade 1952-2001
Gravadora(s) Continental
Todamérica
RCA Victor
Mocambo
Som Livre
Afiliação(ões) Jorge Goulart
As Eternas Cantoras do Rádio

Nora Ney, nome artístico de Iracema de Sousa Ferreira, (Rio de Janeiro, 20 de março de 1922Rio de Janeiro, 28 de outubro de 2003) foi uma cantora, compositora e instrumentista brasieira.

Biografia/Carreira

Aprendeu a tocar violão sozinha e, para incentivá-la, seu pai a presenteou com o instrumento. Familiarizava-se com o mundo da música frequentando assiduamente programas de rádio e de auditório.

Dona de uma voz grave, começou sua carreira em 1952 e em 1953 já era uma das grandes divas do rádio, interpretando Dorival Caymmi, Noel Rosa, Ary Barroso, entre outros. Em 1952 gravou pela Continental seu primeiro LP, Menino Grande.

Ao lado de Maysa Matarazzo, Ângela Maria e Dolores Duran, consagrou-se como uma das maiores intérpretes do samba-canção (gênero surgido na década de 1930). O samba-canção é comparado ao bolero,[1] pela exaltação do amor romântico ou pelo sofrimento de um amor não realizado.

Vida Pessoal

Jorge Goulart e Nora Ney (1972).
Jorge Goulart e Nora Ney (1972).

Foi casada duas vezes. Com o primeiro marido, com quem uniu-se ainda adolescente, teve um casal filhos: Hélio e Vera Lúcia. Vera Lúcia se tornou Miss Mundo Brasil em 1963. Devido há muitos anos de desavenças e também a oposição do marido em relação a sua carreira musical, Nora decidiu investir no seu sonho de ser cantora, e então o casal desquitou-se. Para a sociedade conservadora da época, o que fez foi um escândalo: Nora saiu de casa e passou a viver sozinha com seus filhos, os sustentando através da sua arte, que era a música.

Em 1952, no camarim do Copacabana Palace Hotel, conheceu seu segundo marido, o cantor Jorge Goulart, que também estava desquitado. Em poucos meses de amizade e parceria musical, iniciaram um namoro. Em 1953 decidiram morar juntos. Ele a ajudou na criação de seus filhos, e com os anos sua enteada, Maria Célia, passou a viver com o casal. Devido à atuação política de seu marido no Partido Comunista, Nora e sua família tiveram que se autoexilar, depois do Golpe de 1964, então a cantora morou em diversos países com o marido, os filhos e a enteada.

Após trinta e nove anos vivendo juntos, Jorge e Nora oficializaram a união em uma cerimônia na Igreja Presbiteriana Unida, a qual o casal frequentava há alguns anos, após terem tornado-se evangélicos.

Morte

A cantora morreu aos 82 anos, por falência de múltiplos órgãos, no Hospital Samaritano, Rio de Janeiro, onde estava internada havia três meses.


Discografia e Álbuns de estúdio

Compilações

  • As Eternas Cantoras do Rádio (1991)
  • Nora Ney (1993)
  • Mestres da MPB - Nora Ney (1994)
  • Acervo Especial - Nora Ney (1994)
  • A Música Brasileira Deste Século por seus Autores e Intérpretes (2000)
  • Amor, Meu Grande Amor - Nora Ney e Jorge Goulart (2000)

Notas e referências

{{bottomLinkPreText}} {{bottomLinkText}}
Nora Ney
Listen to this article