Alfredo da Rocha Vianna Filho, conhecido como Pixinguinha (Rio de Janeiro, 4 de maio de 1897 — Rio de Janeiro, 17 de fevereiro de 1973), foi um maestro, flautista, saxofonista, compositor e arranjador brasileiro.[1][2]

No estúdio da Rádio Mayrink Veiga, 1932, o jovem Manuel de Nóbrega, aos 19 anos (2º em pé da esquerda para direita) Carmen e Aurora Miranda (sentadas) segurando a flauta Pixinguinha.
Quick facts: Pixinguinha, Informação geral...
Pixinguinha
Pixinguinha
Pixinguinha em 1956
Informação geral
Nome completo Alfredo da Rocha Vianna Filho
Também conhecido(a) como Pizinguim, Bexiguinha, Pixinguinha, São Pixinguinha
Nascimento 23 de abril de 1897
Local de nascimento Rio de Janeiro, RJ
Brasil
Morte 17 de fevereiro de 1973 (75 anos)
Local de morte Rio de Janeiro, RJ
Brasil
Nacionalidade brasileiro
Gênero(s) Choro
Maxixe
Samba
Valsa
Ocupação(ões) Maestro, flautista, saxofonista, compositor e arranjador
Instrumento(s) Saxofone
Flauta
Período em atividade 1911–1972
Gravadora(s) Odeon
RCA Victor
Sinter
Musidisc
Afiliação(ões) Choro Carioca
Grupo do Caxangá
Oito Batutas
Orquestra Típica Pixinguinha-Donga
Orquestra Victor Brasileira
Grupo da Guarda Velha
Orquestra Columbia de Pixinguinha
Diabos do Céu
Os Cinco Companheiros
Close

Pixinguinha é considerado um dos maiores compositores da música popular brasileira. Contribuiu diretamente para que o choro encontrasse uma forma musical definitiva.

Oops something went wrong: