cover image

Violência é definida pela Organização Mundial da Saúde como "o uso intencional de força física ou poder, ameaçados ou reais, contra si mesmo, contra outra pessoa ou contra um grupo ou comunidade, que resultem ou tenham grande probabilidade de resultar em ferimento, morte, dano psicológico, mau desenvolvimento ou privação", embora o grupo reconheça que a inclusão de "uso do poder" em sua definição expande a compreensão convencional da palavra.[2]

Estimativa da esperança de vida corrigida pela incapacidade de violência física, por 100.000 habitantes em 2004.[1]
  no data
  <200
  200-400
  400-600
  600-800
  800-1000
  1000–1200
  1200–1400
  1400–1600
  1600–1800
  1800–2000
  2000-3000
  >3000

Globalmente, a violência resultou na morte de cerca de 1,28 milhões de pessoas em 2013, contra 1,13 milhões em 1990.[3] Das mortes em 2013, cerca de 842 000 foram atribuídas a auto-destruição (suicídio), 405 000 para a violência interpessoal e 31 000 para a violência coletiva[4] (manifestação[5] e guerras[6][7]) e intervenção legal.[8] Corlin, ex-presidente da Associação Médica Americana diz que para cada morte por violência, há dezenas de hospitalizações, centenas de visitas a emergências e milhares de consultas médicas.[9]

Em 2013, assalto por arma de fogo foi a principal causa de morte devido à violência interpessoal, com 180 000 dessas mortes estimadas terem ocorrido. No mesmo ano, assalto por objeto afiado resultou em aproximadamente 114 000 mortes, com 110 000 mortes restantes de violência pessoal sendo atribuídas a outras causas.[3]

A violência em muitas formas é evitável. Existe uma forte relação entre os níveis de violência e os fatores modificáveis, como a pobreza concentrada, a desigualdade de renda e de gênero, o uso nocivo do álcool e a ausência de relações seguras, estáveis e estimulantes entre as crianças e os pais. As estratégias que abordam as causas subjacentes da violência podem ser eficazes na prevenção da violência.[10] A violência é principalmente classificada como instrumental ou reativa/hostil.[11] Para a prática da violência, as atitudes ou atos podem ser físicos, sexuais, psicológicos, emocionais.