Vodum da África Ocidental - Wikiwand
For faster navigation, this Iframe is preloading the Wikiwand page for Vodum da África Ocidental.

Vodum da África Ocidental

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Área original do vodum da África Ocidental e das línguas gbe
Área original do vodum da África Ocidental e das línguas gbe

O vodum (IPA[vodṹ]) da África Ocidental, também chamado vudu ou vodu,[1] é uma religião tradicional da costa da África Ocidental, da Nigéria a Gana. "Vodun" é a palavra nas línguas gbe (Fon-Ewe) para "espírito".[2] É uma religião distinta das religiões animistas tradicionais do interior desses países, embora guarde semelhanças com religiões resultantes da diáspora africana no Novo Mundo como o vodu haitiano, o vudu da República Dominicana e Porto Rico, o candomblé jeje e tambor de mina no Brasil, o voodoo da Louisiana e a santería de Cuba, que são sincretizadas com o cristianismo e as religiões tradicionais africanas dos congos, do rio Congo e de Angola.[3]

A palavra "vodum" pode significar tanto a religião quanto os espíritos cultuados nessa religião. A grafia "voodoo" é a mais comum na cultura popular estadunidense. O vodum é praticado pelos Ewe, Kabye, Mina, Fon, e (com um nome diferente) pelos povos iorubás do sudeste do Gana, sul e centro do Togo, sul e centro do Benim, e sudoeste da Nigéria. A palavra vodún (pronunciado vodṹ - ou seja, com um u nasal em um tom alto) é o termo Gbe (Fon-Ewe) para a palavra espírito.

Um mercado de fetiches voduns em Lomé, em Togo, em 2008
Um mercado de fetiches voduns em Lomé, em Togo, em 2008

Teologia e prática

Os fundamentos da descrição vodum do universo centram-se em torno dos espíritos voduns e de outros elementos da essência divina que governam a Terra, numa hierarquia que varia em poder das divindades mais importantes, que regem as forças da natureza e da sociedade humana, aos espíritos individuais de árvores e rochas, bem como a dezenas de voduns étnicos, defensores de um determinado clã, tribo ou nação. Os voduns são o centro da vida religiosa, de modo semelhante à intercessão aos santos e anjos na Igreja Católica, o que fez o vodum parecer compatível com o cristianismo, especialmente com o catolicismo, e produziu religiões sincréticas como o vodu haitiano. Os adeptos também enfatizam o culto dos ancestrais e sustentam que os espíritos dos mortos vivem lado a lado com o mundo dos vivos. Cada família de espíritos tem o seu próprio sacerdócio feminino, às vezes hereditário, quando é de mãe para filha de sangue.

Altar ritual de vodum em Abomei, no Benim
Altar ritual de vodum em Abomei, no Benim

Existem diferentes padrões de culto da religião com vários dialetos, deuses, práticas, canções e rituais. O vodum reconhece um Deus com muitos ajudantes chamados voduns. Um único criador divino, chamado diversas vezes Mawu ou Nanã Buruku, é um ser andrógino que, segundo a tradição, gerou sete filhos, dando, a cada um deles, o domínio sobre um aspecto da natureza. O criador encarna um princípio dual no qual Mawu e Lisa (a lua e o sol) são, respectivamente, os aspectos feminino e masculino, muitas vezes retratados como os filhos gêmeos do criador.[2]

Referências

  1. Também escrita Vodon, Vodoun, Voudou etc.
  2. a b «Vodoo in Africa». Consultado em 31 de janeiro de 2010 
  3. Arthur, Linda B. (2000). Undressing Religion: Commitment and Conversion from a Cross-Cultural Perspective. [S.l.]: Berg. ISBN 978-1-85973-480-3 
{{bottomLinkPreText}} {{bottomLinkText}}
Vodum da África Ocidental
Listen to this article