Leon Max Lederman

De Wikipedia, a enciclopédia livre

Leon Max Lederman (Nova Iorque, 15 de julho de 1922 Rexburg, 3 de outubro de 2018)[1] foi um físico estadunidense. Ele cunhou um apelido para o bóson de Higgs,[3] a partícula descoberta em 2012 que revela as origens das massas das partículas. Lederman apelidou de "a partícula Deus" em um livro de 1993 com o mesmo nome. No entanto, Lederman disse que ele queria chamá-la de "partícula maldita", mas sua editora não deixou.[4] Conhecido também por seu senso de humor e paixão por compartilhar ciência com o público, Lederman escreveu vários livros de divulgação científica.[5]

Quick facts: Leon Max Lederman ...
Leon Max Lederman Medalha Nobel
Leon_M._Lederman.jpg
Leon Max Lederman
Quark Bottom
Nascimento 15 de julho de 1922
Nova Iorque, Nova Iorque, Estados Unidos
Morte 3 de outubro de 2018 (96 anos)[1]
Rexburg, Idaho, Estados Unidos
Nacionalidade norte-americano
Cidadania Estados Unidos
Filho(a)(s) Rena Lederman
Alma mater City College of New York, Universidade Columbia
Ocupação físico de partículas, professor universitário, físico
Prêmios Medalha Nacional de Ciências (1965), Medalha Elliott Cresson (1976)[2], Prêmio Wolf de Física (1982), Nobel_prize_medal.svg Nobel de Física (1988), Prêmio Enrico Fermi (1992), Prêmio Vannevar Bush (2013)
Empregador(a) Universidade de Chicago, Universidade Columbia, Instituto de Tecnologia de Illinois, Fermilab
Instituições Fermilab
Campo(s) Física
Religião agnosticismo
Causa da morte demência
Close

Recebeu o Nobel de Física de 1988 — conjuntamente com Jack Steinberger e Melvin Schwartz — pelo método do feixe de neutrinos, e pela demonstração da estrutura de dubletos dos léptons através da descoberta do neutrino do múon. Leon Lederman vendeu o galardão para cobrir despesas de saúde.[6]

Oops something went wrong: