A religião é geralmente definida como um sistema sociocultural de comportamentos e práticas, moralidades, crenças, visões de mundo, textos considerados sagrados, lugares santificados, profecias, ética ou organizações, que geralmente relacionam a humanidade com elementos sobrenaturais, transcendentais e espirituais;[1] no entanto, não há consenso acadêmico sobre o que precisamente constitui uma religião.[2][3]

Diferentes religiões podem ou não conter vários elementos que vão desde o divino,[4] coisas sagradas,[5] ,[6] um ser sobrenatural ou seres sobrenaturais[7] ou "algum tipo de ultimidade e transcendência que fornecerá normas e poder para o resto da vida".[8] As práticas religiosas podem incluir rituais, sermões, comemoração ou veneração (de divindades e/ou santos), sacrifícios, festivais, festas, transes, iniciações, serviços funerários, serviços matrimoniais, meditação, oração, música, arte, dança, serviço público ou outros aspectos da cultura humana. As religiões têm histórias e narrativas que podem ser preservadas em escrituras, símbolos e lugares sagrados, que visam principalmente dar sentido à vida. As religiões podem conter histórias simbólicas ou metafóricas, que às vezes são consideradas verdadeiras pelos seguidores, que também podem tentar explicar a origem da vida, o universo e outros fenômenos. Tradicionalmente, a fé, além da razão, tem sido considerada uma fonte de crenças religiosas.[9]

Há uma estimativa de 10 mil religiões diferentes em todo o mundo.[10] Cerca de 84% da população mundial é afiliada ao cristianismo, islã, hinduísmo, budismo ou alguma forma de religião popular.[11] A demografia religiosamente não afiliada inclui aqueles que não se identificam com nenhuma religião em particular, ateus e agnósticos. Embora os religiosos não afiliados tenham crescido globalmente, muitos deles ainda mantêm várias crenças religiosas.[12]

O estudo da religião compreende uma ampla variedade de disciplinas acadêmicas, como teologia, religião comparada e estudos científicos sociais. As teorias da religião oferecem várias explicações para as origens e o funcionamento da religião, incluindo os fundamentos ontológicos do ser e da crença religiosos.[13]

Oops something went wrong: