Carlos Drummond de Andrade (Itabira, 31 de outubro de 1902Rio de Janeiro, 17 de agosto de 1987) foi um poeta, farmacêutico, contista e cronista brasileiro, considerado por muitos o mais influente poeta brasileiro do século XX.[1] Drummond foi um dos principais poetas da segunda geração do modernismo brasileiro, embora sua obra não se restrinja a formas e temáticas de movimentos específicos.[2]

Quick facts: Carlos Drummond de Andrade, Assinatura...
Carlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de Andrade
Nascimento 31 de outubro de 1902
Itabira, Minas Gerais
Morte 17 de agosto de 1987 (84 anos)
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Nacionalidade brasileiro
Cônjuge Dolores Dutra de Morais (1925–1987)
Filho(a)(s) Carlos Flávio
Maria Julieta Drummond de Andrade
Alma mater Universidade Federal de Minas Gerais
Ocupação Poeta, farmacêutico, cronista e contista
Prêmios Prêmio Jabuti 1968

Prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte (1973)
Prêmio Morgado de Mateus (1980)
Prêmio Juca Pato (1982)
Ordem do Mérito Cultural (2010)

Movimento literário Modernismo
Magnum opus A Rosa do Povo (1945)
Assinatura
Close
Quick facts: Carlos Drummond de Andrade, Chefe de Gabinete...
Carlos Drummond de Andrade
Chefe de Gabinete do Ministério da Educação do Brasil
Período 23 de julho de 1934
até 30 de outubro de 1945
Ministro Gustavo Capanema
Chefe de Gabinete do Presidente de Minas Gerais
Período 5 de setembro de 1933
até 15 de dezembro de 1933
Presidente Gustavo Capanema
Close

Os temas de sua obra são vastos e empreendem desde questões existenciais, como o sentido da vida e da morte, passando por questões cotidianas, familiares e políticas, como a utopia socialista, dialogando sempre com correntes tradicionais e contemporâneas de sua época. As características formais e estilísticas de sua obra também são vastas, destacando-se, por vezes, o dialeto mineiro.[3]