Guerra Mexicano-Americana

conflito armado entre os Estados Unidos e o México de 1846 a 1848 / De Wikipedia, a enciclopédia livre

A Guerra Mexicano–Americana,[3] também conhecida como Guerra Estados Unidos-México ou Guerra México/EUA,[4] foi o primeiro grande conflito impulsionado pelas ideias do Destino Manifesto, ou seja, a crença de que os Estados Unidos tinham o direito, dado por Deus, de expandir suas fronteiras por toda a América, civilizando-a. O conflito se deu entre Estados Unidos e México, entre 1846 e 1848, e teve enormes consequências para o futuro das nações envolvidas. Com a intervenção, os Estados Unidos ampliaram o seu território em cerca de um quarto (25%), enquanto México perdeu aproximadamente metade do seu (50%).[5]

Quick facts: Guerra Mexicano-Americana, Beligerantes, Coma...
Guerra Mexicano-Americana

Sentido horário do canto superior esquerdo: Winfield Scott entrando em Plaza de la Constitución após a Queda da Cidade do México, soldados dos EUA em retirada atraindo as forças mexicanas durante a Batalha de Resaca de la Palma, vitória americana em Churubusco fora da Cidade do México, Marinheiros dos EUA no assalto ao castelo de Chapultepec sob uma grande bandeira americana, Batalha de Cerro Gordo
Data 25 de Abril de 1846 a 2 de Fevereiro de 1848
Local Texas, Novo México, Califórnia; Norte, centro e leste do México e Cidade do México
Desfecho Vitória dos Estados Unidos[1]
Mudanças territoriais Cessão territorial mexicana
Beligerantes
Estados Unidos México
Comandantes
James K. Polk
Zachary Taylor
Winfield Scott
Stephen Watts Kearny
John Drake Sloat
William Jenkins Worth
Robert Field Stockton
Joseph Lane
Antonio López de Santa Anna
Mariano Arista
Pedro de Ampudia
José Mariá Flores
Mariano G. Vallejo
Nicolás Bravo
José Joaquín de Herrera
Andrés Pico
Forças
73 532 – 91 000 soldados e voluntários 34 000 – 70 000 soldados e milicianos
Baixas
1 733 mortos em combate[2]
4 152 feridos
~ 5 000 mortos em combate[2]
Close

Dentre os motivos que levaram os Estados Unidos a criar o conflito militar, os principais foram a pressão migratória, a necessidade de novos territórios e as potenciais riquezas da Califórnia.[4] Essa foi a guerra em que, pela primeira vez, uma força inimiga ocupava a capital do México.[carece de fontes?] Os franceses também ocupariam a Cidade do México na década de 1860.